Skip links

Ponte da Barca a ferro e fogo a escassos três meses da realização das eleições autárquicas

A última reunião de Câmara do Município de Ponte da Barca, realizada no passado dia 17 de junho, foi uma verdadeira contenda. O Executivo liderado por Augusto Marinho levou à sessão uma série de protocolos e contratos inter administrativos com as juntas de freguesia do concelho para serem aprovados. Ditos protocolos foram aprovados, por maioria, mas com declarações de voto menos favoráveis, onde foram denominados de “protocolos caça votos” , uma vez que o executivo do PSD está em fim da mandato e as eleições autárquicas 2021, à porta.

 

Para Maria José Gonçalves, vereadora sem pelouros eleita pelo PSD, quem votou contra todos os protocolos e contratos presentados naquele dia “não posso votar a favor destes protocolos porque como muito bem referiu o senhor Presidente, eu sou uma mulher coerente, e não os posso aprovar porque são protocolos que a única intenção que têm é deitar areia para os olhos dos barquenses. É o amiguismo e o clientelismo a funcionar. E não é a três meses das eleições que isto vai funcionar. Há quatro anos criticamos, e bem, estas atitudes, e dissemos aos barquenses que faríamos diferente, mas infelizmente a incoerência está no senhor Presidente Augusto Marinho, que tem o ‘descaramento’ de apresentar nestes termos e neste ‘timing’ este tipo de protocolos. Os barquenses merecem melhor, o nosso país merece melhor”.

Já para o vereador do PS, Pedro Sousa Lobo, quem também é candidato à presidência da Câmara Municipal de Ponte Barca “estes protocolos têm a intenção de condicionar os presidentes de junta. De os colocar quase reféns deste Executivo e tentar através deles continuar na venda de ilusões. É aquilo a que eu chamo protocolos caça ao voto. Mas nada destes protocolos as pessoas vão ver neste ano 2021 atendendo ao estado das finanças municipais em que em protocolos assinados e celebrados o valor já ascende a 1 milhão 365 mil euros, certamente 2 milhões com os que falta por assinar, a que acresce cerca de 2 milhões e meio de dívida direta desta autarquia a empreiteiros e fornecedores, isto não é protocolo, é um golpe de publicidade do Executivo do PSD, que mais uma vez, muito promete, mas pouco ou nada faz”.

Para o Inocêncio Araújo, ex candidato à Câmara Municipal de Ponte da Barca pelo PS e que agora integra o Executivo de Augusto Marinho como vereador, não sou a favor destes protocolos celebrados neste tempo. Entendo que as juntas de freguesia deviam ter acesso às verbas no início do mandato para uma melhor gestão dos recursos e transparência nessa mesma gestão”.

Como explicou o vereador e candidato à Câmara Municipal, Pedro Sousa Lobo “estes protocolos não tem qualquer intenção de cumprimento, até ao dia da realização das eleições, e de pagamento deste valores. Estas necessidades nas freguesias não foram devidamente acauteladas em quase quatro anos de mandato. E que agora se chuta para frente e se faz este número que, efetivamente, faz perder tempo aos serviços, faz tirar duas os três fotografias, mas as pessoas  não vivem de fotografias no gabinete do senhor Presidente. As pessoas necessitam de melhorias da sua qualidade de vida. E infelizmente este Executivo não conseguiu fazer isso nos últimos anos”, culminou.

Se quiser assistir à Reunião de Câmara na íntegra aceda a este link

https://www.cmpb.pt/ver.php?cod=0A0X0L

 

Publicidade

Escreva um comentário

Nome

Website

Comment

  1. A sorte é que o PS vai ganhar senao tinhamos que levar com o marinho mentiroso mais 4 anos

  2. As pessoas só tem aquilo que merecem.
    Se quiserem um presidente que nada faz, mas que não se cansa de prometer, então votem no Marinho.
    Este homem perdeu a vergonha, e promete o que for preciso para ganhar o voto.
    Se acharem que é mentira o que digo, façam o teste, peçam-lhe algo, ele diz já que sim.