Skip links

Covid-19| Cientistas de Wuhan queriam infetar morcegos em 2018, revela relatório

Um relatório divulgado nesta quarta-feira, 22 de setembro, revela que os cientistas de Wuhan planearam libertar vários coronavírus pelo ar em cavernas de morcegos com o objetivo de os inocular contra doenças que poderia passar para os humanos.

 

De acordo com o jornal Mirror, documentos de 2018 recentemente revelados, expõe propostas de concessão que pretendiam expelir nanopartículas que penetrariam na pele desses animais contendo “novas proteínas spike quiméricas” em Yunnan, China.

Os documentos foram publicados pela Drastic, uma equipa de cientistas baseada na Internet criada por profissionais de todo o mundo que investigam as origens do surto da covid-19 e, segundo os investigadores, a organização sem fins lucrativos norte-americana Ecohealth Alliance terá trabalhado juntamente com o Instituto Wuhan de Virologia.

O objetivo era realizar uma pesquisa de patogenicidade “avançada e perigosa” sobre coronavírus em seres humanos e morcegos. Em 2018, esta proposta chamada de ‘Defuse‘ não conseguiu obter o financiamento necessário, sendo portanto recusada.

O mesmo jornal escreve ainda que nos documentos – que grupo alega ter recebido a partir de uma fonte anónima – a rejeição da proposta liderada por Peter Daszak é justificada com o “risco” em que as comunidades locais poderiam ser colocadas se a equipa não conseguisse prever os perigos associados à intensificação do vírus. A investigação da Organização Mundial da Saúde sobre a origem da pandemia não descarta nenhuma teoria por trás do surto e considera que “todas as opções permanecem em cima da mesa”.

Fonte: Impala

 

Publicidade

Escreva um comentário

Nome

Website

Comment