Skip links

V.N.Cerveira| 20,8 milhões de euros para investimentos aprovados por unanimidade

A Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira aprovou, por unanimidade, esta quinta-feira, 16 de dezembro, em reunião de Câmara, o Orçamento Municipal e Grandes Opções do Plano (GOP) para o exercício de 2022. São 20,8 milhões de euros para investimentos considerados estruturais para o progresso do concelho, com especial incidência nas áreas da ação social, educação e cultura, honrando os compromissos e a proximidade subjacente a este novo ciclo de governação autárquica.

 

Dando prioridade a “políticas que assegurem a competitividade, a sustentabilidade e as respostas sociais humanizadas”, o Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira, Rui Teixeira, assegura que o documento aprovado visa “privilegiar os valores deste novo executivo e contará com a colaboração de todos os colaboradores da autarquia na sua implementação: democracia local participativa, responsabilidade perante os cidadãos, desenvolvimento económico sustentável, coesão social e justiça distributiva, da humanização e dignificação das condições de vida, da responsabilidade ambiental, da contemporaneidade cultural”. Para o autarca, “as grandes opções agora apresentados resultam do princípio do qual não abdico: ouvir os outros. O nosso Plano e orçamento assenta na auscultação do sentir e das necessidades dos agentes locais. Defendemos um estilo de gestão autárquica dialogante, próximo dos cidadãos, gerador de igualdade e assente em parcerias com a sociedade civil, com as instituições e forças vivas do território.  Só com o envolvimento de todos podemos construir uma sociedade plural e humanista que sirva a todos por igual. Todos somos importantes para a construção do nosso concelho. Todos contamos na caminhada do presente e do futuro de Vila Nova de Cerveira”. Reforçando, “vai ser preciso coragem para rever opções tomadas anteriormente, mas que serão fundamentais para responder aos compromissos assumidos”.

As principais ações:

  • a criação do Cerveira – ‘Palco das Artes’, obra por cima do Mercado Municipal, abandonada desde 2013, com a pretensão de dinamizar o equipamento como centro de eventos culturais (música, teatro e cinema), bem como congressos nacionais e internacionais de vária índole;
  • avançar com o início do projeto do Museu Interativo, a ser implementado no novo edifício a construir onde se localiza o edifício antigo dos Bombeiros, dando nova dimensão ao centro da vila e a toda a área envolvente;
  • a realização da XXII Bienal Internacional de Arte de Cerveira, mediante uma aposta decisiva assente em três vetores: educação, aproximação aos Cerveirenses e freguesias e com um caráter mais internacional;
  • primar pelo regresso do evento ‘Cerveira ao Piano’;
  • potenciar a dinamização de um espaço de associativismo juvenil indo ao encontro das reais necessidades dos jovens Cerveirenses, pugnando pela sua fixação no Município, aproveitando a sua energia e potencial para o desenvolvimento do nosso território;
  • aprofundar a relação transfronteiriça com Tomiño, e com outros municípios da raia minhota eh valorizar a enorme importância desta cooperação para o desenvolvimento territorial.

 

O documento aprovado contempla ainda o regresso do ensino superior e da formação profissional vocacionado para áreas que respondam as necessidades das empresas instaladas no concelho, a concretização da primeira fase do 1º Direito – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, programando uma aplicação ainda mais ambiciosa e garantindo melhores condições de habitabilidade às populações.

A transferência de verbas para as 11 freguesias e uniões de freguesias do concelho sofre um aumento de 50 mil euros relativamente ao praticado anteriormente, acréscimo que será distribuído como apoio às freguesias consideradas do interior, apresentando-se como incentivo à fixação de população, combatendo o despovoamento, mais visível nas zonas consideradas rurais e que dispõem de uma enorme riqueza ambiental, patrimonial, etnográfica e humana.

A nível interno, de funcionamento dos serviços municipais, de realçar a revisão e respetiva alteração do organograma, avançando-se com a criação da Chefia de Divisão de Obras, por um lado, procurando dar uma resposta mais célere ao elevado número de processos urbanísticos, e por outro lado, como medida para intensificar projetos considerados prioritários para o novo executivo municipal.

Após aprovação em sede de reunião de câmara, o Orçamento Municipal e as Grandes Opções de Plano para 2022 será discutido e votado em sede da Assembleia Municipal, em sessão ordinária agendada para dia 29 de dezembro.

 

Publicidade

Escreva um comentário

Nome

Website

Comment